05 abril 2009

2009 EUA - NYC

Tá bem que perdemos a conexão na Filadelfia. Um chá de cadeira/chão de horas. Mas o vôo até NY compensou: fomos num modelo tipo Duck Tales (como diz o Tiago), tipo aventura. Entre malas, ônibus e metrôs, só desembarcamos no apartamento alugado (da nossa amiga Mandy) às 22h30. E cadê Rafael? DateS, no plural, foi a resposta do Aldér. Pois não. Depois do frio glacial do caminho, o aquecedor central do prédio, a superpopulação do apto e a decoração estilo entulhamento da proprietária. Hot hot hot. Dia seguinte, a 5ºC, bateção de pernas pelo Central Park e, claro, visita ao meu nº 1: Museu de História Natural de NY. A chuva chata atrapalhou um pouco nosso posterior passeio, que incluiu os pontos de compras para atendimento às encomendas de terceiros (sempre elas). Na seqüência, musical Mamma Mia!, bem divertidol. Meninos ao outlet, fomos flanar pelo Chelsea, Village e arredores, depois de uma pizza bem recomendada no Soho. Atravessamos o East e conhecemos o Brooklyn, uma gracinha. À noite, jantar no L'Ecole, francês apetitoso, uma incursão por bares locais, e claro, deixando Rafael pra trás. Último dia foi de chuva, de novo, então nos resumimos a um giro final das compras, completo com jantar em Nolita. Na volta, um problema no avião transferiu a decolagem de 09h45 pra 17h00! Ou seja, em casa, em BSB, eu tava só às 10h30! Mas valeu!

02 abril 2009

2009 EUA - Texas - Houston

Acomodados na casa do Tiago, demos uma volta na cidade, no nosso CARISSIMO carro alugado. Normal. Um downtown com arranha-ceus grande, bairros residenciais a la suburbio londrino. Considerando que Houston era a cidade do Britney-Britney-Bitch tour, ouvimos a dita numa radio que tirou o dia pra toca-la, EXCLUSIVAMENTE. Over. Fomos ate o local do show, pra nos familiarizarmos com a regiao. Depois, ao shopping, onde todos estavam se preparando para ela. Entao. No show propriamente dito, tudo correu muito bem, civilizado. Tinha muitas piriguetes, o que me surpreendeu. Tudo muito organizado. O espetaculo (no playback) foi excelente, o conceito de circo foi muito bacana mesmo. Achei melhor que o da Madonna, com a diferenca que e menor, a Bri praticamente nao canta e nao interage com o publico. Mas a direcao de arte... Arrasou. Depois, um passeiinho por uns bares, mas rapidinho, porque no outro dia o voo cedo pra NY gritava.

2009 EUA - Florida - Key West

A viagem pro ponto mais ao sul dos USA, apesar de longa, e bem agradavel. Na metade em diante, mar verde esmeralda dos dois lados. Fomos buscar o Tiago no aero local, que tal qual o de Cape Town, e um aeroporto de fundo de quintal. Foi otimo o reencontro. Em seguida, a tradicional busca por comida decente e em porcoes de gente (nao de tigres esfomeados) - sem sucesso. Caimos no truque novamente. E a estadia se deu sem maiores problemas. A verdade e que Key West nao tem nada demais. As praias sao risiveis, com poucos habitues alem do classico vento. A rua badalada do lugar, a Duval, parece um ima - tipo, todos os caminhos levam a ela. Tem ate gente na rua, uma vantagem. Eu e Luciano fizemos uma tarde de snorkeling, foi bacana! Aldair nao curtiu a town. Ja Rafael e Tiago, vulgo Xuxa e Simony, causaram. Os bares nao serao mais os mesmos... Ah, e claro, nao posso deixar de lembrar dos meus queridos quarters, a moeda que vale mais do que dinheiro, imprescindiveis para o estacionamento, carissimo e arduo...
Ocorreu um erro neste gadget