01 outubro 2011

2011 Panamá e Canadá - Montreal - com Ottawa e volta a Toronto

Tudo muito pratico no minivoo Tor-Mon. Uma encrenca: malas nao chegaram (a proposito, as de ninguem do voo). Apos protocolarmos reclamacao, bus 747 ate o centro, numa parada DO LADO do hotel. Pratico e barato. Hotel ok e rua, com voltinha pela Chinatown (sempre ela!) e a Velha Montreal. Casamentos mil na Notre-Dame. Voltei pra casa e cochilei a tare, ate ligarem da recepcao, avisando da chegada das queridas malinhas, para alivio do Rafael. A noite, balada com Rafa, pelo Villae, na St. Catherine. Primeiro, um parada no Sky, um multiplex com bar, pub, terraza, e cantora mexicana! Uns drinks e fomos pro Unity, com porta cheia. Outro multiplex, varias pistas e terraza, que na madruga tava cheio de fog do clima frio. Foi divertido mas tudo igual as demais baladas.

Domingo fomos a um cafe local e depois, subimos a pe ate o parque Mont Royal. No comeco, mais frio e calmo, com o passar das horas, cheio e ensolarado. Otimo! Andamos, comemos, dormimos na grama, escutamos um ensaio de uma bandinha boa que iria se apresentar no Challet Mont Royal... passamos pelo Lago dos Castores esaimos pelo cemiterio catolico. Uma senhora caminhada! Depois passamos pela igreja st. Joseph, com seus muitos degraus e devotos subindo de joelhos. Na volta, tomamos a avenida, meio perdidos, e com fome, McDo. Metro de volta pra casa, banho, cochilo etc. Novos drinks num rest cool da St. Catherine e uma paradinha num bar, eu, Si e Rafa, o famoso (como descobrios depois) Mado, com concurso de drags, muita piada em frances (???) e shows divertidos!

A segunda de calor comecou com um belo cafe da manha no Jean Talon, mercado la na mini Little Italy, a qual alcancamos de metro. Um sucesso: crepes, sucos de frutas vermelhas, sanduiches de ciabatta, pirulito de caramelo maple, milho verde doce e creme brulee, na padaria Premiere Moisson, maravilhosa! Descemos (rolamos) a pe pela St. Denis, pelo charmoso Plateau Mont-Royal, passando tambem pelo Quartier Latin. Cansados, paramos num rest mais chiquezinho na St. Cathe, de novo, mas em Downtown. Razoavel. Depois, uma vola pelo bairro e casa! No fim do dia o Thiago, amigo do Rafael, foi ao hotel e combinamos todos o dia seguinte.

Terca mais quente ainda, metro e cafe no mercado Atwaters, com os convidados extras Thiago e Lucas, recem conhecido no albergue do Thiago. O mercado e mais bem mais simples que o Jean Talon mas tinha frutas (berries!) e a mesma padaria. Nova gula! Depois tomamos um rapido metro ate a estacado de trem, onde compramos os bilhetes de ida e volta a Ottawa. Se tivessemos comprado do Brasil, pela web, seria metade do preco, mas tudo bem... Continuamos de metro ate a regiao das instalacoes olimpicas. Fomos ao Biodome, com seus ecossistemas polares, amazonicos e canadenses, e subimos na torre inclinada local. Nada demais. Entramos tambem na area aquatica do complexo esportivo, onde vimos aulas de natacao e treinos de salto ornamental. Voltamos de metro a velha Montreal, almocamos por ali, e passeamos pela beira-rio e ruazinhas. Sorvete medio. Por conta de um show de "luzes e sons" (lembra do Egito?) nao se podia entrar livremente na Notre-Dame. Retorno passando pela velha e nao tao boa China Town e uma parada para um rapido drink num mexicano, muito do mal atendido,antes de uma volta pelo Village e hotel! Ufas!

Quarta foi dia parado, acordamos bem tarde... Um passeio pelo centro para as compras tradicionais. Uma rodada sem fim atrás da cidade subterrânea, shopping e galerias, supermercado pro lanchinho do passeio do dia seguinte etc etc. Almoço no italiano da esquina, bem gostoso e farto! À noite, jantamos numa steak house do bairro, mas muita propaganda e pouca entrega: comida média...

Ottawa ficou pra quinta-feira. Madrugamos pro trem que partia 06h00. Funcional, e com wi-fi (aliás, uma rotina no CAN). Da estação ao centro, pegamos um ônibus com uma motorista não muito amigável... Tomamos café na chegada e fomos direto ao Parlamento, fazer a visita legislativa (olha o Mudado aí!). Muito drama, muito não me toque. Passa. De lá rodamos pela town, pequena mas capital. Mercado, e depois, atravessamos a ponte em direção à cidade de Gatineau, conurbada, já na província de Quebec. Assistimos uma sessão no Imax (o filme Born to be Wild, que tinha visto o trailer na Austrália). Depois, visitamos o Museu das Civilizações, que, além de uma coleção sobre as First Nations (povos nativos) tem uma linda sessão, em rota e ordem cronológica, sobre a história do Canadá. Muito legal mesmo. Pena que o trem de volta era 18h e tive que correr... Lanchamos na estação central, cuja atendente era solitária e muito animada. Dormimos no trem e nem jantamos em Montreal...

Sexta e derradeiro dia foi acordar pra tomarmos o bus até o aero. Lanchamos lá. Rapidinho chegamos em Toronto, no aero da ilha. Táxi, hotel, check in etc. Pra finalizar, as last compras e encomendas. Comemos um burguer diferenciado no mall, bem gostoso. À noite, bem mais frio que a semana anterior, pit stop no McDonalds pro Rafa fazer um boquinha (com direito a conferência municipal de doidos: Queen Latifah, a dona do pedaço, Corcunda de Notre-Dame e seu detergente de Sprite Diet, Penélope Charmosa e sua dancinha maluca e o infame traficante de crack/pedinte...). Fomos ao bar Woodies, de novo, só pruns drinks... Bye, Canadá.
Ocorreu um erro neste gadget