03 julho 2013

Dubai

O vôo é longuinho, mas passa rápido na Emirates. Desembarcando, revi meu "aero-hotel", já bem conhecido. Providenciamos o visto (caro!), e pegamos um táxi, numa fila à la Congonhas, mas rápida. A temperatura de 33° às duas da manhã já prenunciava o porvir. Em Dubai, ficamos em hotelão de rede, para meu desagrado - mas não existe muita alternativa. O check in cheio de lero lero, etc etc.

04/07 quinta

Dormimos até tarde, e pouco antes do almoço, tomamos o metrô até o shopping Ibn Batutta. O trajeto hotel-estação é mínimo mas suficiente para estafar de calor. Os óculos se embaçam automaticamente, é muito engraçado. O Ibn fica numa das últimas estações do moderno metrô de Dubai, que, além de ter vagões específicos para mulheres, conta com vagões "Gold"! Hahahaha! Só a cafonice. Lá no Ibn, mais antiguinho, o acesso metrô-shopping é pela velha e boa rua, ou seja, HELL. 5 minutos são suficientes para o bronze do milênio. Esse mall leva o nome de um historiador/viajante marroquino, que andou MUITO pelas África/Europa/Ásia, em todo o mundo islâmico. Para homenageá-lo, o shopping tem sete "tipos" de decoração, referentes à Tunísia, Marrocos, Egito, China, Índia, Andalusia e Pérsia. Curioso! Almoçamos lá e demos uma volta com pequenas compras.

Metrô de novo, insolação, e paramos numa estação perto da marina, pra dar uma sacada. Tivemos que pausar o roteiro, num prédio comercial, pra descansar no ar condicionado! Mais metrô, e agora ele, o soberano Dubai Mall, ao lado do Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo, blá, blá, blá. O shopping não é de brincadeira. Só pra chegar lá, 10 minutos, entre esteiras e ar condicionado (ele é mais preparado!). Lá, zilhões de andares, lojas e restaurantes - cite qualquer loja: ela estará lá! Rodamos até, fontes, aquários, pistas de patinação, compras, "sheiks" lindos, suas esposas de burka, filhos mil, e, primeira vez, babás (estrangeiras). Por fim, lanchamos, exaustos no Starbucks. Mais voltas, jantar de leve também no shopping.


05/07 sexta

Íamos tomar o café no Mall of the Emirates, mas uma estação de metrô fechada nos fez tomar o táxi com destino ao velho e bom Dubai Mall. Almoço lá no Cheesecake Factory, bombando. Muitos sheiks e famílias - rolou até um momento Skyfall, fotografando alvos de forma discreta. De lá, tomamos o metrô e descemos no centro, Bur Dubai/Deira. Totalmente diferente, mais "vida real". Mas o calor de 45° desanda qualquer um. Além disso, as lojas estavam todas fechadas, aos poucos reabrindo pra tardinha de sexta (dia de folga). Andamos, andamos, andamos (talvez nem tanto assim, mas e a sensação térmica??). Cruzamos o creek (canal) com os locais, em uma embarcaçãozinha que parece de papel. Uma volta pela Bastakiya e ninguém aguenta mais - going home. Antes, no centro de convenções vizinho, um "queimão" de mercadorias, as mais variadas! No hotel, piscina, que descobri ser refrigerada - isso para manter a 29°! Para jantar, eu e Si fomos numa pizzaria vizinha, onde presenciamos um date típico das Arábias contemporâneas - ela, 15 anos, burka-style, véu, celular moderno. Ele, 16, cabelo black power, calça skinny, sneakers cano longo coloridos, iPhone, gordinho; chega a ser engraçado.

06/07 sábado

Dia de ir embora, madruga, táxi ("limousine", de acordo com o concierge), despacho de malas etc etc. Tudo nos conformes, vôo lotado, muitos sultãozinhos chorando (e também, sheikzinhos e khanzinhos). Mas até que foi mais tranks que eu imaginava. Assisti a todos os filmes do mundo. Em Guarulhos, de volta à terrinha, recepcionado pelos precinhos camaradas...
Ocorreu um erro neste gadget